Futebol

Em alta no Blooming, jogador de MS aproveita boa fase na Bolívia

Em alta no Blooming, o zagueiro Ricardo Duarte, natural de Nova Andradina (MS), aproveita a boa fase no futebol e também desponta fora de campo. O brasileiro revelado no Santos está em sua segunda temporada no time de Santa Cruz de la Sierra, maior cidade da Bolívia, e é figura quase sempre certa nos principais programas de televisão e eventos sociais do País.

Nesta semana, por exemplo, o camisa 4 foi um dos jurados da fase classificatória do concurso Del Miss Deporte Patra Santa Cruz 2017. “É um concurso tradicional e muito famoso na Bolívia. Além de demonstrar versatilidade na passarela, as modelos participam de diversas provas envolvendo várias modalidades esportivas. Fiquei muito contente em ser convidado”, comentou o beque.

Apesar dos convites, Ricardo Duarte mantém a cabeça no lugar. “Cresci no Santos e já joguei em clubes de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, até na Costa Rica, então carrego comigo uma certa bagagem. Essas experiências me deram maturidade para não desviar do objetivo. Meu foco é o Blooming. Vejo esses convites como reconhecimento, uma consequência do meu trabalho dentro de campo”, disse.

Por falar em futebol, o zagueiro enfatizou o desempenho do clube, que já foi cinco vezes campeão nacional. “Hoje estamos em terceiro lugar no Campeonato Boliviano, com a mesma pontuação do segundo colocado. Até a última rodada, vínhamos de uma sequencia boa. Foram três vitórias e um empate em quatro jogos, mas infelizmente perdemos a última partida”, comentou.

O Blooming está a seis pontos do líder Bolívar, o que não desanima o camisa 4. “Ainda restam algumas rodadas, então, enquanto houver chances nós vamos lutar. Esse é desejo de todo o elenco. Queremos escrever os nossos nomes na história do Blooming, ganhar títulos e disputar campeonatos continentais como a Copa Sul-Americana e a Libertadores”, frisou.

O zagueiro também destacou o momento da carreira. “O Blooming foi quem abriu as portas para que hoje eu vivesse a minha melhor fase. Tive um início promissor no Santos, mas as constantes lesões me impediam de disputar mais jogos quando me profissionalizei. Agora que estou 100% recuperado tenho tido uma grande sequencia de jogos, sem qualquer desgaste. Estou muito feliz”, pontuou.

Nem a altitude, que pode chegar a 4.060 metros acima do nível do mar, parece atrapalhar o desempenho do jogador. Apesar de atuar na defesa, ele já balançou as redes duas vezes na atual temporada. Outro destaque do camisa 4 é a polivalência. Elogiado pela qualidade no passe e pela resistência física, Ricardo também já atuou improvisado na lateral.

“É uma posição que te desgasta mais, pois você precisa atacar e defender. A intensidade é outra e você precisa cumprir atribuições vitais, como apoiar os jogadores de frente, mas sem prejudicar o time lá atrás. É uma função que gosto muito e que agora, por estar no auge da minha forma física, posso voltar a desempenhar”, concluiu Ricardo.