Geral

Abel Braga não aceita folga e estará no treino do Fluminense nesta segunda-feira

Apesar da dor pela perda do filho caçula, João Pedro, de 19 anos, no último sábado, Abel Braga decidiu seguir a vida, trabalhando. O clube deixou-o à vontade para definir quando deveria voltar. Porém, Abel preferiu juntar os cacos e seguir para o centro de treinamento, na Barra.

Cansado, porque passou toda a noite de sábado e madrugada de domingo velando o corpo do filho, no salão nobre das Laranjeiras, o técnico foi aconselhado por amigos e familiares a descansar. Não aceitou. Nesta segunda, se reunirá com a comissão técnica e assistirá a vídeos dos jogos do fim de semana. Abel estará à frente do time na partida de quarta-feira, contra o Sport, na Ilha do Retiro, em Recife, às 19h30.

Ainda arrasado e abatido pela morte do seu caçula, que despencou do sexto andar, durante o banho, após uma crise convulsiva, Abel encontrou força nos amigos, dirigentes e companheiros do meio do futebol. O técnico da seleção, Tite, esteve no Fluminense durante o velório por toda a madrugada. Saiu das Laranjeiras por volta das 5h30 somente. O presidente do clube, Pedro Abad, também foi dos mais solidários. Assim como o médico Michael Simoni.

Porém, nada mexeu mais com Abel do que o telefonema do preparador físico Paulo Paixão, que o confortou no domingo. O amigo perdeu seus dois filhos, um deles, Anderson, vítima do voo da Chapecoense, em novembro.

Envolvido por tanto carinho, Abel decidiu arregaçar as mangas e ir em frente.

O presidente do Fluminense, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, informou que tentou demover Abel da ideia da viagem para a capital pernambucana. Porém, o treinador não abriu mão de estar à frente da equipe no confronto com o Sport. A delegação tricolor seguirá para Recife na terça-feira. A diretoria tenta convencer Abel a voar somente na quarta-feira, dia do jogo.

– Falei que não havia pressa. Que era para ele se preocupar com a vida dele. Hoje ele vai dar o treino, estará no jogo na quarta. A delegação vai na terça, sugeri que ele fosse na quarta. Ele ficou de pensar – disse Pedro Abad.