Geral

Aos 31, melhor atacante da Superliga festeja prêmio com chance na seleção

"Todo mundo esperava essa convocação, mas eu me dava o direito de não esperar, mas sonhar", afirma a oposta Andréia, chamada por Zé Roberto pela primeira vez 

Andréia Laurence precisou mudar e clube, trocar de posição, virar mãe, amadurecer, ser eleita a melhor atacante da Superliga 2013/2014 para, enfim, ganhar a chance que sempre sonhou. Aos 31 anos, a oposta comemora a ótima temporada defendendo o Pinheiros com a inédita convocação para a seleção brasileira. A experiente jogadora agora vive dias de “aluna” para absorver o máximo de aprendizado possível durante o período em Saquarema, ao lado do técnico José Roberto Guimarães e toda sua equipe, e passar a sonhar com voos mais altos.
– Foi uma felicidade. A palavra que define a Andreia hoje é felicidade. Estou muito feliz por estar aqui. É um sonho realizado. Todo mundo esperava essa convocação, mas eu me dava o direito de não esperar, mas sonhar. Eu não queria me decepcionar. Sou uma jogadora de 31 anos. Não é fácil pegar uma jogadora de 31 anos e colocar na seleção – comentou a jogadora do Pinheiros.
Andréia Laurence, no treino da seleção de vôlei andreia (1)

Esta semana, quando vestiu o uniforme da seleção brasileira, Andréia relembrou os tempos em que defendeu o Brasil nas categorias de base. Em 2011, a jogadora chegou inclusive a conquistar o título mundial da competição juvenil. Quando virou “gente grande”, porém, as coisas mudaram. Considerada baixa (1,82m) para meio de rede, posição que jogava nos primeiros anos de adulta, acabou perdendo espaço na seleção principal.
Durante alguns anos, ela ainda insistiu na posição de central. Mas, depois do nascimento do filho Nicholas, em 2010, Andréia decidiu dar uma virada em sua carreira. A mudança acabou dando certo. Nesta temporada, a oposta se destacou no Pinheiros e ganhou o troféu de melhor atacante da Superliga feminina 2013/2014.
– Voltei para Superliga de 2010/2011 como ponteira. Depois, por acaso, mudei para oposta no ano seguinte. E acabei ficando. Foi a posição em que mais me encaixei. Como meio de rede não tinha muita oportunidade no mercado e eu sempre tive fundamentos para as outras posições. Então, acabei unindo o útil ao agradável.
Andréia Laurence, no treino da seleção de vôlei
O desempenho de Andréia nesta temporada também chamou atenção do técnico José Roberto Guimarães. O treinador da seleção feminina convocou a oposta pela primeira vez para um período de treinamentos visando as próximas competições internacionais. Treinando desde segunda-feira com a seleção em Saquarema, ela quer dar um passo de cada vez de olho no sonho de defender a camisa do Brasil.
– Estou vivendo um dia depois do outro, um treino depois do outro. Estou aqui para pegar o que tem de melhor de cada pessoa, dos técnicos, assistentes, jogadoras… Vou usar o melhor de cada um para melhorar e, com certeza, isso vai me ajudar a disputar competições pela seleção.