Geral

De olho na terceira idade, Rede contrata ao menos três idosos por mês

 

A Rede Comper de Supermercados de Campo Grande aposta na terceira idade e costuma contratar de dois a três idosos por mês, de acordo com Márcia Santos, gerente de RH. Atualmente há 45 funcionários com idades acima dos 60 anos trabalhando nas 13 lojas.

 

Conforme Márcia, o projeto ‘Inclusão da Melhor Idade’ começou a funcionar em 2014 e dos 45 hoje contratados, 34 estão desde o início da iniciativa desenvolvida pelo Departamento de Recursos Humanos da Rede Comper. “Vimos a necessidade de implantação desse projeto em decorrência da grande procura de pessoas com idades acima de 60 anos por uma colocação no mercado de trabalho”.

 

Foi então que o RH do Comper começou a realizar alguns testes nas lojas, analisando a questão da receptividade dos gerentes e dos líderes em relação aos idosos e vice-versa. “A ideia era observar se esses funcionários se adaptariam ao ritmo de um supermercado”, explica Márcia.

 

Os idosos contratados pela Rede Comper em Campo Grande trabalham num ritmo normal como o dos outros funcionários: segunda a domingo com uma folga por semana. “Eles trabalham sábados, domingos e feriados e a maioria começa como auxiliar de caixa, empacotando compras, recolhendo cestinhas e carrinhos”, frisa a gerente de RH.

 

Início – Márcia se lembra do primeiro idoso contratado por meio do projeto, que foi designado para trabalhar como auxiliar de caixa no Hipercenter Jardim dos Estados. Essa pessoa, segundo ela, foi aprendendo a função e hoje é operador de caixa. Outro foi promovido para assistente de atendimento de açougue.

 

Ainda conforme Márcia Silva, o projeto Inclusão da Melhor Idade visa dar emprego a idosos que já são aposentados. “Ele foi pensado por uma questão de eu me deparar com muitas vagas em aberto e não encontrar pessoas comprometidas, qualidade muito bacana nas pessoas da terceira idade. São compromissados com o trabalho, atendem com excelência, possuem flexibilidade, cuidados quando empacotam as mercadorias dos clientes”, elogia a gerente de RH do Comper.

 

Hoje, em pelo menos uma das 13 lojas do Comper em Campo Grande há um, dois e até mais idosos trabalhando. No Hipercenter Jardim dos Estados, por exemplo, são 11 funcionários da melhor idade.

 

É o caso do auxiliar de caixa Apolônio Ariovaldo Rodrigues, 71 anos. Ele entrou no Comper por meio do projeto Inclusão da Melhor Idade, quando ainda estava em seu início no ano de 2014. “Ficava muito parado e isso me deixava preocupado. Decidi procurar trabalho na rede e fui contemplado com emprego com carteira assinada. Estou muito feliz trabalhando nesses três anos no Comper e a cada dia que passa eu me adapto cada vez mais”.

 

Promoção – Maria das Dores Gomes dos Santos, 61 anos, entrou no Comper em 2013 – antes do projeto da Melhor Idade entrar em ação – como auxiliar de caixa e hoje é assistente de atendimento do açougue na loja Brilhante. “Considero maravilhosa essa oportunidade que o Comper me deu de trabalhar com pessoas mais jovens, aprendendo e ensinando. Minha função é oferecer produtos aos clientes, mas também tiro dúvidas e até recomendo umas receitinhas. A gente chega numa certa idade e fica amedrontado por não ter ocupação. Lembro quando ainda recolhia carrinhos de compras no estacionamento e hoje aqui, auxiliando no açougue, só tenho a agradecer. Não é um serviço cansativo, basta ter disposição e paciência”, recomenda.

 

Já Timotio Pontes Roman, 60 anos, hoje também é assistente de atendimento do açougue na loja Tamandaré. Assim como Maria, ele tem a missão de tirar o cliente da filha do açougue e aconselhá-lo a comprar as carnes em bandejas. “Comecei recolhendo carrinhos no estacionamento e a gerência da loja me deu essa oportunidade de vender e conversar com os clientes. É um incentivo que me deixa muito gratificado”.

 

Na opinião de Márcia, o fato de o Comper abrir as portas para a contratação de idosos é uma oportunidade para que eles sejam acolhidos e recebam tratamento igualitário igual a qualquer outro funcionário. “Não há diferença de salário, função. Recebem igual aos outros e a eles também é oferecida oportunidade para que troquem experiências com os colegas. Trabalhamos muito bem a integração com essas pessoas para que não haja discriminação. Nossa empresa só tem ganhado com eles”.

 

Fases – Em média, o RH do Comper em Campo Grande recebe de 30 a 40 currículos mensais. A partir daí, seleção é feita com base em prova de conhecimentos gerais (português e matemática), entrevista no departamento de Recursos Humanos e depois com o gerente da loja em que o respectivo funcionário trabalhará.

 

“Como a empresa trabalha em cima de competências organizacionais, analisamos no processo seletivo as competências para a qual vamos encaixar os idosos. Fora as funções comuns, também contratamos idosos para as funções de consultores Part Time, que visam oferecer determinados produtos em abordagens a clientes. No caso desses, a jornada é de apenas três horas, inclusive aos sábados e domingos”, esclarece Márcia.

 

Assim como qualquer outra pessoa em início de carreira na Rede Comper, o salário mensal recebido varia de um até um e meio.