Geral

De olho no título mundial, Esquiva torce para rival japonês

Brasileiro quer vitória de Ryota Murata contra o a camaronês Hassan N'Dam para depois poder enfrentá-lo e disputar o cinturão dos pesos médios

A derrota na final olímpica em Londres-2012 não sai da cabeça do boxeador Esquiva Falcão, que sonha com uma revanche com o japonês Ryota Murata. Na decisão da medalha de ouro, o lutador asiático foi declarado o vencedor, por pontos (14 a 13), resultado jamais aceito pelo atleta nacional.

Pois neste sábado, Esquiva vai “torcer” por Murata, que vai disputar o título mundial dos pesos médios, versão Associação Mundial de Boxe, que está vago, diante do camaronês Hassan N’Dam, em Tóquio.

– Vou torcer para ele e aí vamos ver se ele me dá uma chance de disputar o cinturão – disse o capixaba, de 27 anos.

O invicto Murata tem 31 anos e soma apenas 12 vitórias como profissional, com nove nocautes. Três adversários do japonês foram brasileiros: Carlos Nascimento, Douglas Ataíde e Felipe Santos Pedroso.

Hassan N’Dam, oponente do japonês deste sábado, é mais experiente. Aos 33 anos, acumula 35 vitórias e duas derrotas.

Esquiva e Murata se enfrentaram também na semfifinal do Campeonato Mundial Amador, em 2011, e a vitória ficou com o japonês (24 a 11).

– Essa luta ele venceu mesmo – disse Esquiva, sem esconder a mágoa pelo resultado na olimpíada.

Esquiva e Murata possuem contratos com a empresa Top Rank, de Bob Arum. O lendário empresário jamais escondeu o desejo de fazer “no tempo certo” uma luta entre os dois boxeadores.

– A primeira coisa que o Robert Garcia (novo treinador) fez quando cheguei aqui na Califórnia foi perguntar se eu queria lutar com o Murata – revelou Esquiva, que trocou de treinador e de residência nos Estados Unidos há uma semana. Ele morava há três anos em Las Vegas.

Esquiva é o 15º colocado no ranking da Federação Internacional de Boxe e 30º no Conselho Mundial de Boxe. Com 17 vitórias, 12 nocautes, o brasileiro volta a lutar em 30 de junho, diante do norte-americano Scott Sigmon, em Dallas.