Geral

Guga elogia o Rio Open e diz sentir até vontade de voltar a jogar

Hoje aposentado, tricampeão de Roland Garros venceu Novak Djokovic em 2012, em sua última partida na cidade

Dizem que o melhor da festa é esperar por ela. Se for mesmo assim, quem ama o tênis já deve estar esfregando as mãos na ansiedade pelo Aberto do Rio, que vai ser disputado no Jockey Club Brasileiro, na Gávea, de 19 a 25 de fevereiro de 2018. Para o ano que vem, a expectativa é de um torneio tão equilibrado, com as presenças de três top 10 da ATP e de um ex-sexto do mundo, que o astro brasileiro Gustavo Kuerten, o Guga, ficou com vontade de reabilitar a raquete.

– Eu queria estar jogando ainda para poder disputar o Rio Open. Como gostaria de ter jogado um torneio desse nível no Brasil – afirmou o tricampeão de Roland Garros.

Não é para menos. Embora em edições anteriores o superastro espanhol Rafael Nadal já tenha se apresentado no Rio Open, do qual foi campeão em 2014, na primeira edição, assim como o também espanhóis David Ferrer, campeão de 2015, e Tommy Robredo, o italiano Fabio Fognini, e o francês Jo-Wilfried Tsonga, no próximo torneio, haverá quatro atletas de altíssimo nível. Além do austríaco Dominic Thiem, número 5 do mundo, campeão do ano passado, que vai voltar para defender seu título, também vão jogar nas quadras de saibro o croata Marin Cilic, sexto do ranking, e o espanhol Pablo Carreño Busta, 10º da ATP. Enbora não seja mais um top ten, estará nas quadras de saibro do Jockey Club o francês Gael Monfis, atual número 46 da lista oficial da ATP, mas que já havia sido sexto no ranking em 2016.

Guga também gosta da maior competição de tênis da América do Sul por causa do clima caloroso da torcida, tipicamente brasileiro, e do cenário onde o complexo de quadras é montado na área do Jockey Club.

– Cada vez que chego ao torneio e vejo a imagem da quadra, com o Cristo lá no alto, dá vontade de jogar – ressaltou o ex-atleta.